ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Correio]

Novo acordo. Entrada em vigor. H inicial

Tenho duas perguntas (esclareço que não acho que o novo acordo seja hilariante):

1 — Que normas/regras podemos usar para saber se devemos escrever o h de palavras como húmido e hilariante?

2 — Quando é que podemos passar a escrever de acordo com o novo acordo ortográfico?

Aparentemente, as minhas perguntas já foram respondidas, mas eu continuo com dúvidas, as quais passo a explicar melhor.

I — Como poder raciocinar para decidir se o h mudo se deve ou não escrever?
Eu li um pequeno livro sobre o acordo que diz que é o critério fonético e não o etimológico que prevalece para estabelecer a grafia das palavras no novo acordo. Sendo prevalecente o critério fonético, por que razão tem duas grafias a palavra húmido/úmido e não têm duas grafias outras palavras como hilariante e hoje? Na minha maneira de falar, o h não se pronuncia em nenhuma destas palavras.

Li numa das vossa respostas que as palavras hoje e hilariante se escrevem com h por razões etimológicas, mas se há os dois tipos de razão (etimológicas e fonéticas), quais prevalecem? As pessoas que escrevem erva sem h não estão a fazer nenhum erro. Será que não há/haverá nenhuma regra que se possa aplicar? Será que tenho apenas de decorar a grafia de todas as palavras?

II — Quando é que podemos passar a escrever de acordo com o novo acordo ortográfico?

Li numa das vossas respostas que o acordo ainda não está em vigor e que, por isso, não se deve começar já a escrever de acordo com ele.

No entanto, num livro que li sobre o acordo e ainda segundo uma entrevista que ouvi na rádio com um dos autores desse livro, concluí que o acordo estaria já em vigor (embora num período de transição de 6 anos). As minhas razões são as seguintes:

1 — O acordo modificativo foi aprovado por todos os países de expressão portuguesa incluindo Timor.

2 — De acordo com o que depreendi, segundo esse acordo modificativo aprovado, o acordo entraria em vigor em todo o universo de língua portuguesa assim que esse acordo modificativo fosse ratificado por três países.

3 — Três países já teriam ratificado o acordo modificativo.

Posso ou não escrever segundo o acordo sem estar a cometer erros?

Obrigado.

Luís Botelho (professor) :: :: Portugal

[R]

1. O texto do acordo mantém a eliminação do h interior como até aqui, mas não prevê eliminar o h inicial nas palavras. Pelo contrário, regista taxativamente: haver, hélice, hera, hoje, hora, homem, humor.

A ideia de que o h inicial vai cair no novo acordo é uma conseq{u|ü}ência de o húmido ser diferente em Portugal do úmido no Brasil; e, então, como os detractores dizem que no novo acordo cedemos muito ao Brasil, as pessoas receosas com os pretensos malefícios propalados pensam que o h inicial irá sistematicamente desaparecer. Ora eu julgo que até o nosso húmido se manterá, como variante do português europeu.

Talvez este símbolo h, hoje sem qualquer valor nestas palavras, venha a cair no futuro. Por agora, o novo acordo, só com um objectivo fraco de unir a ortografia da comum língua mexe pouco na etimologia (excepto nas consoantes não articuladas quer na nossa pronúncia, quer na do Brasil, há muito abandonadas na grafia por este país, aliás com o nosso acordo em 1931).

2. Só pode passar a escrever no novo acordo quando este entrar oficialmente em vigor no nosso país. Pode ir formando os alunos nas diferenças, com tolerância nas confusões (sublinhando com outra cor as grafias segundo o novo acordo, erros na actual norma).

3. Sete países assinaram o acordo. Os mesmos sete concordaram que bastariam três assinarem para que neles o acordo pudesse vigorar, mas teriam de ratificar esse protocolo modificativo (o inicial obrigava à assinatura de todos). Nessa altura (2004), Timor entrou no acordo. Presentemente, já três ratificaram o protocolo e poderão pôr o acordo em vigor nos seus países. Portugal está em vias de o ratificar também no Parlamento, após decisão positiva do Governo.

Sublinha-se que os detractores vêm a terreno paladinamente defender os interesses dos países que não ratificaram ainda o protocolo, ignorando que a assinatura de quem ratifica não obriga os outros a seguirem-nos na ortografia que presentemente adoptam. O Brasil pensa avançar em força já em 2009. Portugal estará a escrever oficialmente no novo acordo daqui a seis anos. Os restantes países de língua oficial portuguesa adoptarão o novo acordo quando e se o entenderem. Cabo Verde e São Tomé de certeza, os restantes muito provavelmente.

Ao seu dispor,

D´Silvas Filho :: 08/05/2008

[Correio]
Um abraço do Japão
«Nem um cêntimo» para o Ciberdúvidas
Virtualidades, mais uma vez
Novamente a posição do Ciberdúvidas quanto ao Acordo Ortográfico
Será que já não há remédio para o "metriológico" e para a "metriologia"?...
«A vossa forma de dar...»
Predicativo do complemento direto: uma análise alternativa
Sintaxe e semântica, outra vez
Repreensão ao Ciberdúvidas
Ainda sobre a expressão «ter a mania»

Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos