ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

A passagem do discurso directo para o discurso indirecto

[Pergunta] Sou argentina, estudante do Prof. em Português, e queria saber se existe uma regra para a passagem dos verbos nos diferentes tipos de discurso (isto é, do D Direto para o D Indireto, e viceversa), já que uma "aluna" pediu que eu lhe explicasse.


Muito obrigada!

Claudia Caiarastelli :: :: Argentina

[Resposta] Não há uma regra, mas sim todo um conjunto de procedimentos, de maior ou menor complexidade conforme o domínio que se tem da língua, que a seguir sintetizamos.

Na passagem do discurso directo para o indirecto é necessário utilizar verbos introdutores do discurso. Os principais são:

Declarativos: dizer, afirmar, declarar, comunicar, exclamar, proferir, responder...

De inquirição: perguntar, interrogar, pedir...

De opinião: acreditar, crer, julgar, considerar, achar, pensar...

Declarativos de ordem: ordenar, prometer...

De sentimento: desabafar, lamentar, lastimar...

Interactivos: começar, continuar, acrescentar, atalhar...

É também necessário fazer alterações nas categorias verbais (modo, tempo e pessoa), nos pronomes, nos determinantes e nos advérbios:


DISCURSO DIRECTO
 
DISCURSO INDIRECTO:
verbo declarativo ou de inquirição (dizer, perguntar, responder, pedir, ordenar...)

Tempos e modos


Presente


Perfeito


Futuro do Indicativo


Futuro do Conjuntivo


Modo Imperativo


Tempos e modos


Imperfeito


Mais-que-Perfeito


Condicional


Imperfeito do Conjuntivo


Modo Imperativo


 Pessoa gramatical


 (Verbos, pronomes pessoais, pronomes e determinantes possessivos):


1.ª ou 2.ª pessoa


 Pessoa gramatical


 (Verbos, pronomes pessoais, pronomes e determinantes possessivos):


3.ª pessoa


Demonstrativos


Este, esta, isto


Esse, essa issso


Demonstrativos


Aquele, aquela, isto


 


Advérbios de tempo


Agora, já, imediatamente, hoje, ontem, na véspera, amanhã, logo


Advérbios de tempo


então, naquele momento, logo, naquele dia, no dia anterior, no dia seguinte, depois


Advérbios de lugar


aqui



Advérbios de lugar


ali, além, acolá



Vocativo

Desaparece ou passa a complemento indirecto da oração subordinante

O discurso directo é marcado pelo parágrafo (quando o locutor muda), pelo travessão ou aspas e, algumas vezes, pelos dois pontos. Podem ser mantidas interjeições, frases de tipo exclamativo, vocativos, uso afe(c)tivo dos determinantes, vocabulário e frases próprias da oralidade.

Ex: «- Você ainda devia era pagar para estar aqui! Aqui num estúdio de televisão, a aparecer depois no ecrã quando o programa for para o ar, a ser visto pelos seus amigos… Quanto é que isto não vale?

Na passagem do excerto para o discurso indirecto, procede-se às reformulações necessárias:

«Ele exclamou que o rapaz ainda devia pagar para estar ali. Ali num estúdio de televisão, a aparecer depois no ecrã quando o programa fosse para o ar, a ser visto pelos seus amigos. Perguntou quanto era que aquilo não valia

(Adaptado da gramática Saber Português hoje, de Luísa Oliveira e Leonor Sardinha, 2ª. Ed., Didáctica Editora, Lisboa, 2005, pág. 155 a 157)

Maria João Matos :: 11/11/2005

[Discurso/Texto]
Uso de artigo definido com Fundão e Póvoa de Atalaia
O título, uma unidade textual
«A pera, quando madura, há de cair»
A fórmula de agradecimento «bem haja(m)»
A expressão «sentir o chão fugir»
«Meu marido», «minha mulher»
Pergunta retórica e interrogação retórica
«Porque é que» (e não «"porquê" que»)
Métrica: palavras esdrúxulas em final de verso
1,2 milhas por extenso

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos