ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

O aumentativo de rapariga

[Pergunta] Estou a tentar ensinar o meu filho e não encontro o grau aumentativo de rapariga.

Brígido Marques Fonseca :: Funcionário público :: Oeiras, Portugal

[Resposta] Raparigaça é a forma mais reconhecida como aumentativo do nome/substantivo rapariga, forma sintética esta que se obteve a partir do emprego do sufixo aumentativo -aça ao nome comum, conferindo-lhe uma significação exagerada ou intensificada, o que pode traduzir imagens positivas (de pessoa de caráter forte) ou negativas [«de desproporção, de disformidade, de brutalidade, de grosseria ou de coisa desprezível» (Cunha e Cintra, Nova Gramática de Português Contemporâneo, Lisboa, Sá da Costa, 2002, p. 199)]».

Repare-se que esta não é a única forma de aumentativo de rapariga, pois não nos podemos esquecer de que a formação do grau aumentativo pode ser feita por dois processos:
a) sinteticamente, mediante o emprego dos sufixos aumentativos usados em português:

   — formas masculinas -ão (caldeirão, paredão), -aço (animalaço, ricaço), -ázio (copázio),  -alhão (vagalhão), -(z)arrão (homenzarrão, gatarrão, canzarrão), -anzil (corpanzil), -aréu (fogaréu), -astro (medicastro), -az (lobaz), -alhaz (facalhaz), -arraz (patrarraz), -eirão (asneirão, caldeirão);

   — formas femininas: -ão (um mulherão), -aça (barbaça, barcaça, raprigaça), -arra (bocarra, naviarra), -ona (solteirona, chorona), -orra (cabeçorra), -uça (dentuça);

 b) analiticamente, acrescentando-se um adjetivo que indique aumento ou esteja relacionado com essas noções, tal como grande, enorme, do que resultam formas como «grande rapariga», «rapariga grande», «rapariga enorme».

Existem, portanto, outras formas de possíveis aumentativos de rapariga, feitas a partir das regras de formação (sinteticamente) dos aumentativos. Tratar-se-á, portanto, de aumentativos que não se encontram dicionarizados nem estabilizados, que podem ocorrer em situações informais, em casos de uso da linguagem familiar e corrente, para se traduzir uma situação em que se realce, pela positiva ou pela negativa, a ideia/imagem de uma determinada rapariga.

Eunice Marta :: 24/11/2011

[Morfologia Flexional]
Subclasses verbais
A conjugação de pôr
As formas finitas e não finitas dos verbos
Faz e faze
A classe de satisfeito: particípio passado, ou adjetivo?
A locução logo que com tempos do conjuntivo (Bárbara)
Futuro simples vs. futuro perifrástico: história
Pagado, ganhado e gastado: particípios em desuso?
Os particípios passados de pagar, gastar e ganhar
A diferença entre verbos regulares e verbos irregulares

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos