ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Pretérito perfeito vs. imperfeito

[Pergunta] Qual é a regra para usar o pretérito perfeito em vez do imperfeito e vice-versa?

Mais precisamente, em que situações se usa o pretérito imperfeito?


Rita Carvalho :: ::

[Resposta] Julgo que se refere ao pretérito perfeito simples. Vejamos então as particularidades de cada um dos tempos:

1. Pretérito perfeito. Neste tempo, referimo-nos:

1. A um facto passado e inteiramente concluído, e sem qualquer relação com outro tempo:

Encontrei ontem a Maria no supermercado.

O António nasceu no Porto.

2. A um facto passado imediatamente antes de outro também passado. Ou então: A um facto passado imediatamente a seguir a outro também passado. Só se emprega com orações temporais introduzidas por logo que, mal ou expressões sinónimas:

- mal o vi, fui logo ter com ele.

2. Pretérito imperfeito

Costuma-se denominá-lo de presente do passado. Emprega-se:

1. Quando falamos do passado e nos referimos ao que, nesse momento, era contemporâneo desse passado:

Quando ontem ia para as aulas, encontrei a Joana; (ia é contemporâneo de encontrei).

2. Quando referimos um facto que, tendo começado anteriormente, continua a dar-se no momento de outro facto:

Ainda era noite, quando me levantei.

3. Quando nos referimos a um facto passado, que normalmente se suporia:

Na tua época, de estudante, deitavas-te habitualmente às 23 horas.

4. Quando exprimimos um desejo de que não temos a certeza de que se cumpra:

Este ano queria passar as férias nos Açores.

5. Quando o empregamos com valor de condicional, naqueles casos em que não duvidamos de que o facto se realizará:

Era (seria) muito bom para ti, se casasses com o Francisco.

Como vemos, a principal diferença entre estes dois tempos do modo indicativo é a seguinte: O pretérito perfeito indica uma acção passada, inteiramente concluída.

O pretérito imperfeito indica uma acção passada mas que continua. É o que vemos, por exemplo, na frase c..

A etimologia destas duas designações ajuda-nos a compreendê-las:

pretérito – do latim ‘praeteritu(m)’, passado, que já não existe;

perfeito – do latim ‘perfectu(m)’, terminado, acabado, concluído;

imperfeito – do latim ‘imperfectu(m)’, não acabado, não concluído.

Resumindo: o pretérito imperfeito indica uma acção durativa; o pretérito perfeito indica uma acção não durativa.

Se alguma dúvida permanecer, o "Ciberdúvidas" está ao seu dispor.

J.N.H. :: 08/02/2000

Textos Relacionados

[Semântica]
O significado de saroto
«Todo o corpo» e «todo corpo»
Referir as horas sem artigo definido
O brasileirismo popular «vamos comigo»
Conjuntivo: tempos simples vs. tempos compostos
O uso de «haver de ser» e será
A expressão quantitativa «uma tira de...»
Debaixo e «de baixo»
A etimologia do substantivo e adjetivo assassino
Modalidade apreciativa

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos